Home » » Charles Bronson, o Durão

Charles Bronson, o Durão

É a tal coisa. Se você é muito jovem muito provavelmente nem saiba quem foi Charles Bronson. Já faz um bom tempo que ele morreu e seus filmes, salvo algumas exceções, passam longe de serem consideradas obras primas do cinema. Eu não peguei a fase inicial da carreira do Bronson. Na realidade ele surgiu ainda na década de 1950 e nessa época eu nem existia. O Bronson da minha infância e adolescência foi aquele ator já velho, com cabelos brancos, que arrebentava a bandidagem das ruas em filmes mais modestos que no Brasil foram lançados no mercado de vídeo VHS em selos como América Vídeo - sim, aquela da capinha azul com estrelinhas, uma coisa bem anos 80 é bom dizer.

Pois bem, como eram esses filmes? O Bronson naquela época já não trabalhava em grandes estúdios como Paramount, MGM ou Warner. Ele encontrou um nicho interessante em produtoras menores como a Cannon. Essa empresa produzia filmes baratos de ação para serem exibidos em cinemas mais populares mundo afora - eu estou falando de um tempo em que não havia cinemas multiplex em shopping center, mas apenas cinemas de rua, grandes salas de exibição que ficavam nos grandes centros das cidades. A Cannon tinha um grande "astro" naqueles tempos: Chuck Norris (não se preocupem, falaremos ainda dele por aqui). E qual era a do Chuck Norris? Bom, basicamente ele interpretava caras durões e indestrutíveis que mandava para os ares seus inimigos. Ora, bem lá atrás nos anos 70 quem mandava muito bem nesse tipo de filme era o Charles Bronson. Basta lembrar de "Desejo de Matar" para entender bem isso. Assim Bronson foi contratado pela Cannon para estrelar uma série de filmes de porrada e ação, bem ao seu velho estilo. Os machões que curtiam esse tipo de filme tiveram os seus anos de auge durante a década de 1980, justamente por causa de filmes como esse. Havia algo melhor do que ver o Bronson com uma bazuca limpando as ruas da escória? Claro que não!

"Desejo de Matar 2" já mostrava o que estava por vir. Ao contrário do primeiro filme que tinha alguma preocupação com roteiro e enredo, essa sequência partia logo para os finalmentes. Extremamente violenta a fita fez um belo sucesso de bilheteria - embora tenha sido arrasado pela crítica que dizia ser o filme fascista e coisas do gênero. A Cannon nem ligou, eles queriam mesmo era faturar. "Dez Minutos Para Morrer" era um pouquinho mais sofisticado, com um enredo mais bem elaborado, colocando Bronson como um tira veterano atrás de um serial killer depravado. A cena final com o criminoso correndo nu ficou célebre. "Desejo de Matar 3" provava que o cinema de ação não teria mais vergonha em faturar com filmes em série. Se havia dado certo uma, duas, três vezes... porque não ir em frente. Bronson cada vez mais envelhecido ia se tornando ainda mais brutal e violento a cada nova sequência. Seu personagem deixava de ser humano para virar uma máquina assassina de matar. O público adorava!

Continua...

Pablo Aluísio.

0 comentários:

Postar um comentário

Postagem em destaque

Homens Perigosos

Título no Brasil: Homens Perigosos Título Original: Hoodlum Ano de Produção: 1997 País: Estados Unidos Estúdio: United Artists Direçã...

Pesquisar este blog

 
Copyright ©
Created By Sora Templates | Distributed By Gooyaabi Templates