Home » , » Guia de Episódios - The Killing - Terceira Temporada

Guia de Episódios - The Killing - Terceira Temporada

The Killing 3.01 - The Jungle
Uma jovem garota de apenas 14 anos de idade, que trabalha como prostituta nas ruas de Seattle, é encontrada morta. O assassinato é extremamente violento, com requintes de grande crueldade. Imediatamente o detetive Stephen Holder (Joel Kinnaman) é indicado para solucionar o crime. Ele logo relembra de um antigo caso que foi investigado por sua ex-parceira, Sarah Linden (Mireille Enos). O método de execução é o mesmo e o modus operandi do assassino se mostra semelhante ao que Linden teve que lidar no passado. A questão porém é que um homem foi acusado dos crimes anteriores e atualmente se encontra no corredor da morte, mas pelo visto o verdadeiro serial killer continua à solto. O alvo acaba sendo basicamente o mesmo: jovens garotas que vagam pelas ruas da grande cidade. Teria mesmo havido um erro nas investigações de Linden no caso original? Na outra linha narrativa acompanhamos duas garotas jovens que passam o dia pelas ruas de Seattle - uma delas consegue uma cama quente para passar a noite numa instituição religiosa, já a outra  que foi expulsa de casa pela própria mãe (que mais parece uma daquelas mulheres sem quaisquer valores morais) fica no meio da rua e sem alternativas acaba entrando em um carro na madrugada para mais um programa. Pode ser o serial killer agindo novamente. Esse segmento do enredo é muito interessante porque mostra o outro lado da sociedade americana, onde existe muita pobreza, miséria e falta de perspectivas, principalmente pelos mais jovens que muitas vezes ficam desempregados e são colocados à margem da sociedade. Uma boa amostra para quem acha que a América é a terra dos sonhos, onde tudo é fácil e simples. Pelo contrário. A realidade da moçada que vive pelas ruas de Seattle é muito triste. Jogadas à própria sorte elas tentam sobreviver embaixo do frio e da chuva. Esse é o primeiro episódio da terceira temporada da premiada e consagrada série "The Killing". Na primeira e segunda temporadas tive uma sensação ruim que os roteiristas esticavam ao máximo a trama, causando um certo cansaço no espectador. De fato havia uma certa lentidão em desenvolver os personagens e solucionar os mistérios, mesmo assim nunca deixei a série de lado porque de fato havia um produto de qualidade ali. Esse certo marasmo era fruto da própria característica dos escritores, uma maneira de seguir os passos dos programas europeus, que possuem esse timing diferenciado das séries americanas. O que não se pode negar é que se trata de mais um bom seriado da AMC, canal maravilhoso que ultimamente tem chegado a competir até mesmo com a poderosa HBO. A iniciativa é a mesma: produzir séries que fujam do lugar comum. / The Killing 3.01 - The Jungle (EUA, 2013) Direção: Ed Bianchi / Roteiro: Veena Sud / Elenco: Mireille Enos, Joel Kinnaman, Elias Koteas.

The Killing 3.02 - That You Fear the Most
Sarah Linden (Mireille Enos) deixou o seu serviço na polícia de Seattle. Velhos hábitos porém são complicados de se deixar de lado. Ela acaba se envolvendo novamente em uma investigação policial. Procurada por seu antigo parceiro, Stephen Holder (Joel Kinnaman), ela descobre alarmada que o modos operandi de um serial killer que ela investigou no passado está de volta. O problema é que há uma pessoa no corredor da morte acusado justamente daqueles crimes! Assim ela teme ter condenado a pessoa errada, deixando o verdadeiro psicopata solto. Ela então se empenha em cumprir uma investigação informal do crime e acaba descobrindo que, assim como acontecia nos crimes do passado, esse assassino também é daqueles que levam uma lembrança de suas vítimas, no caso anéis que ele retira das jovens moças que assassina. Além disso através dos desenhos de um garoto ela acaba descobrindo uma vala, bem no meio da floresta, cheia de corpos de jovens garotas! O terror, ao que tudo indica, está de volta à sua vida! Se você gosta de boas séries policiais "The Killing" é uma boa pedida. Extremamente bem escrita e produzida sempre apresenta roteiros instigantes e viciantes. Não deixe de assistir. / The Killing 3.02 - That You Fear the Most (EUA, 2013) Direção: Lodge Kerrigan / Roteiro: Veena Sud, Dan Nowak / Elenco: Mireille Enos, Joel Kinnaman, Elias Koteas.

The Killing 3.05 - Scared and Running
As duas primeiras temporadas de "The Killing" exigiram uma certa dose de paciência, isso porque a trama foi sendo alongada além do necessário em minha opinião. Nessa terceira temporada a história está fluindo de maneira muito mais eficiente. O caso policial central envolve o desaparecimento de uma jovem adolescente, uma garota filha de uma família completamente desestruturada. Vivendo pelas ruas ao lado de outros jovens pobres e desamparados como ela, logo se torna alvo de um pedófilo insano que curte realizar vídeos de pedofilia dentro da pousada de sua própria mãe, localizada na região mais pobre e miserável de Seattle. Para piorar esse quadro por si só já tão terrível, muitas delas foram mortas após participarem dessas fitas. Resta a Linden (Mireille Enos) e Holder (Joel Kinnaman) tentar encontrar o paradeiro da jovem antes que ela seja assassinada também. Assim nesse episódio eles promovem várias buscas, nos bosques, nos arredores, até mesmo dentro de canos de aquedutos abandonados. No centro de todo o problema parece estar a própria mãe da menina desaparecida. Uma mulher imatura, que ficou grávida na adolescência, se tornou mãe solteira e viu de certa forma sua vida ser destruída aos pedaços. Mal ligando para a filha ela acabou se envolvendo com homens errados ao longo dos anos. Agora, ao que tudo indica, ela realmente perdeu o rumo completamente, se envolvendo emocionalmente com aquele que pode ser justamente o assassino de sua filha. / The Killing 3.05 - Scared and Running (EUA, 2013) Direção: Daniel Attias / Roteiro: Veena Sud, Coleman Herbert / Elenco: Mireille Enos, Joel Kinnaman, Elias Koteas.

The Killing 3.06 - Eminent Domain
A série "The Killing" é um caso curioso. As duas primeiras temporadas esticaram em demasia uma trama que facilmente caberia em apenas uma. Mesmo assim, exigindo uma dose extra de paciência por parte do espectador, resolvi seguir em frente, mesmo em que em determinados momentos tenha mesmo ficado irritado com a falta de um ritmo mais eficiente no desenrolar dos acontecimentos. Nessa terceira temporada os roteiristas acertaram na mão. Na verdade a série é muito boa, daquelas em que você mesmo não estando plenamente satisfeito não abre mão. Conforme os episódios avançam vamos entendendo a importância do trabalho do ator Joel Kinnaman dentro do programa. Ele que está começando também uma boa carreira no cinema (vide os recentes "RoboCop" e "Noite Sem Fim") acabou se tornando a alma desse seriado. Pois bem, nessa nova temporada ficamos sabendo que Sarah Linden (Mireille Enos) cometeu um erro crucial no passado quando indiciou em seu inquérito policial o suspeito Ray Seward (Peter Sarsgaard) de ter matado a própria esposa. Levado a julgamento acabou condenado à morte. Os episódios acompanham sua rotina em direção ao cadafalso, ao mesmo tempo em que mostra sua resignação em tudo o que lhe foi imputado. Em "Eminent Domain" seu vizinho de cela no corredor da morte não aguenta mais a pressão de estar naquele buraco há mais de 3 anos e resolve colocar um fim em tudo, se matando enforcado com o próprio lençol da cama. Ray assiste a tudo, impassível. Enquanto isso Linden e Holder (Kinnaman) continuam atrás de um pedófilo assassino que grava filmes pornôs com menores de idade para depois os assassinar, jogando seus corpos em uma floresta próxima de Seattle. Barra pesada. Não houve nenhum acontecimento mais importante nesse episódio, mas isso não significa que ele seja irrelevante para quem anda acompanhando essa temporada. Só espero que os roteiristas não voltem a enrolar como aconteceu nas temporadas passadas. / The Killing 3.06 - Eminent Domain (EUA, 2013) Direção: Keith Gordon / Roteiro: Veena Sud, David Wiener / Elenco: Mireille Enos, Joel Kinnaman, Elias Koteas.

The Killing 3.07 - Hope Kills
A vida não é fácil, principalmente se você é jovem, pobre e lésbica nas ruas de Seattle. Assim como acontece no Brasil, quando muitos homossexuais precisam se entregar à prostituição para sobreviver, o mesmo ocorre nos Estados Unidos. Nessa temporada de "The Killing" acompanhamos um grupo de garotas que passam os seus dias pelas ruas da cidade, trocando sexo barato por alguns trocados. Quando várias delas são mortas brutalmente a dupla de policiais Sarah Linden (Mireille Enos) e Stephen Holder (Joel Kinnaman) entram no caso para tentar descobrir a verdadeira identidade do assassino em série. Para sua surpresa as investigações acabam levando à figura de um renomado pastor protestante da região, que inclusive trabalha em um abrigo para jovens sem teto. Pensando bem, não poderia haver melhor lugar para um psicopata desses trabalhar. Ao lidar com jovens desamparadas ele acaba se tornando o próprio protótipo do lobo em vestes de ovelha. Para Holder ele se enquadra perfeitamente no perfil do criminoso pedófilo e assassino. Insistindo em seguir seus instintos, ele acaba descobrindo no departamento de polícia que o sujeito definitivamente não é quem diz ser e o pior de tudo: ele estaria usando uma identidade falsa, de um homem que teria morrido há 2 anos. Com o cerco fechado não existem maiores dúvidas sobre sua real intenção. Com uma ficha criminal que o aponta como indiciado em um desaparecimento de outra jovem no Arizona, o mistério vai realmente sendo solucionado. Mais um bom episódio de "The Killing", excelente série policial que se passa na ruas sinistras e alagadas dessa feia e escura Seattle (pelo visto chove todos os dias sem parar por lá!). Enfim, se não conhece e não acompanha a série, nunca é tarde para começar. / The Killing 3.7 - Hope Kills (EUA, 2013) Direção: Tricia Brock / Roteiro: Veena Sud, Brett Conrad / Elenco: Mireille Enos, Joel Kinnaman, Elias Koteas.

The Killing 3.08 - Try
A agente Sarah Linden (Mireille Enos) cai em uma armadilha. Sem saber acaba se tornando refém em seu próprio carro. O sequestrador é o pastor cujas investigações apontam como o responsável pela morte das jovens e adolescentes que se utilizam do abrigo que ele administra. Um teto provisório nas noites frias para adolescentes que passam o dia pelas ruas. Um disfarce perfeito para pedófilos assassinos em geral. Com uma arma na cabeça, o sujeito manda Linden dirigir, indo para uma região isolada. Ela então fica planamente convencida que chegara finalmente sua hora pois provavelmente será morta em um lugar inóspito bem no meio da floresta. Como último recurso de sobrevivência ela consegue deixar seu rádio ligado sem que o criminoso perceba, o colocando bem escondido ao lado de sua cadeira, obviamente com a intenção de chamar a atenção dos outros policiais que agora começam a sentir sua falta. Para sorte dela seu parceiro, Stephen Holder (Joel Kinnaman), consegue captar ao ouvir a transmissão clandestina uma dica preciosa passada por ela, dando a direção para onde está indo, um antigo píer desativado em Seattle. A partir daí tudo vira um jogo de gato e rato, onde o mais importante de tudo é tentar sobreviver. Um excelente episódio, com carga de suspense na medida certa. Inicialmente, pelo andar da carruagem, você ficará quase convencido que Linden será mesmo morta! Os roteiristas conseguiram criar um clima de tensão que permeia toda a trama. Além disso o desfecho é bem fora do que usualmente se espera, fugindo do lugar comum em situações como essa! Fora dos padrões e muito bem idealizado. Dessa terceira temporada é certamente um dos melhores episódios. / The Killing 3.08 - Try (EUA, 2013) Direção: Lodge Kerrigan / Roteiro: Veena Sud, Nic Sheff / Elenco: Mireille Enos, Joel Kinnaman, Elias Koteas.

The Killing 3.09 - Reckoning
Finalmente depois de vários episódios em busca de um assassino de jovens adolescentes que vivem pelas ruas de Seattle, os policiais Sarah Linden (Mireille Enos) e Stephen Holder (Joel Kinnaman) descobrem sua verdadeira identidade. Aqui surge um aspecto curioso. O verdadeiro assassino já havia surgido na série como suspeito bem lá atrás, ainda nos primeiros episódios. Depois os roteiristas colocaram outros suspeitos no meio de caminho e só agora, na reta final da temporada, voltaram a ele. Muitos não gostaram muito disso, acusando a série de ter enrolado durante muito tempo. Na minha forma de ver a situação isso é de até esperado. Não iriam resolver o caso tão facilmente como se esperava - até porque se isso acontecesse a temporada teria no máximo quatro a cinco episódios. Enganando o espectador, o levando a acreditar em falsas pistas, a coisa rendeu bem mais. O pesar nesse episódio vem pela morte de Bullet (Bex Taylor-Klaus), uma garota lésbica que serviu de informante para Holder durante grande parte da temporada. O curioso é que muita gente pensa que se trata de um ator interpretando uma garota lésbica, mas na verdade a Bex é realmente uma menina, bonita e tão talentosa que muita gente boa por aí pensou que era realmente um jovem rapaz interpretando sua personagem feminina. Pois bem, a morte de Bullet mexe mesmo com Holder. O cara simplesmente desaba, desabafando sobre si mesmo. Ele ainda se vê como um doidão viciado em metanfetamina! Para piorar ele confunde as coisas e tenta de forma bem desastrada beijar sua própria colega, Linden, que desvia no último segundo, gerando um enorme constrangimento entre os dois! (não tem jeito, sempre que uma série mostra dois policiais parceiros em atividade, mais cedo ou mais tarde a tensão sexual entre eles acaba despertando esse tipo de situação). Afinal, quem realmente ainda acredita que um homem e uma mulher que se sentem atraídos um por outro, podem ser apenas bons amigos? / The Killing 3.09 - Reckoning (EUA, 2013) Direção: Jonathan Demme / Roteiro: Veena Sud, Dan Nowa / Elenco: Mireille Enos, Joel Kinnaman, Elias Koteas.

The Killing 3.10 - Six Minutes
Esse episódio é todo centrado na execução do personagem Ray Seward (Peter Sarsgaard, ótimo em cada momento). Ele foi condenado a morrer na forca após ser condenado pela morte de sua esposa na frente de seu próprio filho, um garotinho de apenas 10 anos de idade. Sarah Linden (Mireille Enos) acredita que ele pode ser inocente, uma vez que um anel pertencente a sua esposa foi encontrado entre os souvenirs das vítimas de um pedófilo assassino que foi preso (em trama explorada no episódio anterior). Assim as últimas horas de vida de Ray acabam se transformando numa verdadeira maratona para Linden. Ela tenta um adiamento com o Procurador-Geral, tentando de todo jeito evitar que Ray seja pendurado na corda. Nesse meio tempo ela acaba tendo uma surpresa desagradável ao encontrar o filho de Ray, que foi lhe fazer a última visita antes de sua morte. O garoto, em sua inocência, acaba dizendo a Linden que seu pai estava presente mesmo no momento da morte de sua mãe e que ele definitivamente nunca foi a pessoa inocente como ela pensa crer. Que reviravolta! Com essa mudança de visão da realidade, do que realmente aconteceu, a cabeça de Linden entra em parafuso e ela não consegue mais saber em que direção deve seguir. Continuar tentando o adiamento da execução ou deixar ele morrer para que se cumpra enfim a justiça? Dessa temporada esse é seguramente um dos melhores episódios, não apenas por mostrar os últimos momentos de um condenado no corredor da morte, mas também por explorar as várias nuances que a personalidade humana pode apresentar, ora surgindo como um inocente sendo condenado injustamente à morte, ora mostrando como para muitos psicopatas é fácil vestir a vestimenta do coitadismo e do vitimismo. Uma boa aula sobre a complexidade da alma humana. / The Killing 3.10 - Six Minutes (EUA, 2013) Direção: Nicole Kassell / Roteiro: Veena Sud / Elenco: Mireille Enos, Joel Kinnaman, Elias Koteas.

The Killing 3.11 - From Up Here
Eu costumo dizer que "The Killing" é uma das melhores séries policiais da TV americana, mas você precisará ter uma dose extra de paciência para acompanhar. Na verdade muito de seu sucesso se deve ao par de detetives policiais formado por Sarah Linden (interpretada pela ruiva e talentosa Mireille Enos) e Stephen Holder (sempre com boas atuações de Joel Kinnaman, sim ele mesmo, o ator que estrelou o novo remake de RoboCop). A cada temporada há um novo psicopata a se caçar. A questão é que os episódios acabam se revelando intrigados ao extremo, com reviravoltas em torno de reviravoltas. Assim não estranhe se você passar toda a temporada pensando que o criminoso é um determinado personagem para no final surgir de dentro da cartola a verdadeira identidade do assassino, deixando todo mundo surpreso. Foi justamente o que aconteceu nessa terceira temporada. Esse é o penúltimo episódio da temporada e só agora os roteiristas resolveram deixar as coisas mais claras. O curioso é que nos Estados Unidos os dois últimos episódios foram exibidos em sequência pela canal amc, tal como se fosse um longa-metragem. Achei muito bom o resultado final. Eu já tinha me aborrecido bastante com lentidão das duas primeiras temporadas, mas agora mais calejado aproveito melhor o ritmo bem peculiar de "The Killing". Paciência é a chave para curtir a série melhor. Além disso é sempre divertido saber que o verdadeiro serial killer estava ali bem próximo dos personagens principais, praticamente na escrivaninha ao lado! Ops, acho que estou revelando demais... assim vou encerrando por aqui! / The Killing 3.11 - From Up Here (EUA, 2013) Direção: Phil Abraham / Roteiro: Veena Sud, Eliza Clark / Elenco: Mireille Enos, Joel Kinnaman, Elias Koteas.

The Killing 3.12 - The Road to Hamelin
Último episódio da terceira temporada. Nos Estados Unidos foi exibido junto com o episódio anterior em um especial de duas horas de duração. O texto a seguir conterá spoiler, então se você vem acompanhando a série e não deseja saber dados essenciais para o desfecho da trama sugiro que pare de ler por aqui. Pois bem. Essa temporada se desenvolveu completamente em cima de investigações para descobrir quem seria o serial killer de adolescentes, jovens garotas perdidas que viviam pelas ruas de Seattle. A maioria delas pobres, provenientes de famílias disfuncionais. Nas ruas elas acabam no ramo da prostituição, mesmo sendo um crime duplo, primeiro porque a própria prostituição é um ato criminoso naquele estado e segundo porque todas elas eram menores de idade, o que configuraria pedofilia. Um submundo horrível em uma das cidades mais desenvolvidas e prósperas da América. Durante os 12 episódios a suspeita recaiu sobre diversos personagens, desde pedófilos conhecidos pela polícia, passando por um condenado no corredor da morte, até um policial do departamento. De fato Sarah Linden (Mireille Enos) e Stephen Holder (Joel Kinnaman) estão convencidos no começo do episódio de que o verdadeiro assassino de adolescentes seria o colega Carl Reddick (Gregg Henry). Realmente o assassino era um policial, mas a dupla acabou errando o alvo, suspeitando do tira errado. Durante uma visita na casa do detetive James Skinner (Elias Koteas, que também interpreta um policial em outra série, "Chicago PD"), Linden descobre que a filha de Skinner está usando um anel que pertenceu a uma das vítimas do psicopata. Ligando as pontas ela finalmente descobre que o verdadeiro serial killer é Skinner, alguém que esteve ao lado deles o tempo todo. Uma típica reviravolta de roteiristas mais calejados. Até que achei interessante o desfecho dessa temporada, ainda mais na cena final quando Linden e Skinner vão atrás de uma das últimas vítimas do policial. Eles travam um ótimo diálogo no carro, com Skinner tentando demonstrar as motivações que o levaram a cometer todos os crimes. O que se revela nessa cena é uma mente muito, muito doentia. Um desfecho acima da média para uma série que, apesar de muitas vezes torrar nossa paciência, sempre manteve um ótimo nível. Agora vamos em frente rumo em direção para a quarta e última temporada. / The Killing 3.12 - The Road to Hamelin (EUA, 2013) Direção: Daniel Attias / Roteiro: Veena Sud, Dawn Prestwich / Elenco:  Mireille Enos, Joel Kinnaman, Elias Koteas.

Pablo Aluísio e Júlio Abreu.

0 comentários:

Postar um comentário

Postagem em destaque

Homens Perigosos

Título no Brasil: Homens Perigosos Título Original: Hoodlum Ano de Produção: 1997 País: Estados Unidos Estúdio: United Artists Direçã...

Pesquisar este blog

 
Copyright ©
Created By Sora Templates | Distributed By Gooyaabi Templates